Bodfaro

Lomadee, uma nova espécie na web. A maior plataforma de afiliados da América Latina.

carrossel de ofertas

Buscape

Lomadee, uma nova espécie na web. A maior plataforma de afiliados da América Latina.

quinta-feira, 25 de fevereiro de 2010

Um dia no salão de cabeleireiros Espaço SX







"O interior é seu, mas o externo é do mundo!" cabeleireira Ruth



Seria apenas uma ida ao salão como outra qualquer, a não ser pelo detalhe da mudança radical em minha aparência. Lembrando que, nos últimos anos, venho cultivando penteados no estilo afro, mas na madrugada anterior decidi que encerrar esta era.



Como não acredito em força do acaso, mas na lei da atração, fui a um novo cabeleireiro, chamado Espaço SX, na av. Leôncio de Magalhães em frente ao metro Jardim São Paulo e fui bem atendido pela dona do estabelecimento Sandra e pelas cabeleireiras Ruth e Alessandra, sendo que o tratamento foi inteiro prestado por Ruth.



A medida em que me tratava, explicava-me todos os passos, ouvidos atentos passei a divagar e vi que cuidar das madeixas não envolve apenas o lado estético, mas também está intimamente ligado ao amor próprio e a forma como se quer ser visto pelo mundo.


A citação de Ruth deixa bem claro que, muitas vezes temos uma excelente espiritualidade, mas o lado interior não é visível a olhos nus, pois para isso demanda tempo para que as pessoas notem nossas verdadeiras qualidades. O externo tem a função de ajudar a estabelecer ligações com os outros, proporcionando uma primeira oportunidade de contato.


Faz-me lembrar do ditado "Mens sana in corpore sano", onde devemos buscar um crescimento interior e naturalmente isto se refletirá no exterior.


"Todos deveriam ter cabelos para finalizar ( pentear, moldar), pois isso faz aumentar a auto-estima" Ruth



Outra citação de minha espirituosa "artista das cabeças", mostrou que a mesma não se trata apenas de uma excelente profissional na área de estética dos cabelos, mas que ela já transcendeu ao simples trato, já vê, sente e entendo os seus reflexos na psiquê de seus clientes.



Refletindo conclui estar certa, pois quando eu usava o penteado trançado, eu praticamente negava a mim mesmo, pois era um pretexto para não perder tempo em frente ao espelho, não precisava me arrumar para sair, não tinha com o que me preocupar, exceto quando as tranças começavam a desmanchar, mas até ai, um simples lenço na cabeça conferia um estilo.



Agora vejo, que me enganava, ao deixar os cuidados com minha aparência com o valor abaixo do que mereciam.



Conclusão: cada minuto em frente ao espelho, é buscar não só o melhor reflexo, mas a emanação do melhor que vem do meu interior.

terça-feira, 23 de fevereiro de 2010

Transformação: veja que podemos aprender com o peão!



Transformação: Do latim transformatio, transformationis - Ato ou efeito de transformar-se p tornar diferente, dar nova forma, converter; Na Termodinâmica - Modificação que sofre um sistema devido às trocas de energia com o meio exterior. Na Biologia - Transferência de caracteres genéticos de bactérias doadoras para bactérias receptoras por integração entre ambas.
"O peão é a alma do xadrez" (Philidor *1726 + 1795)
Ao visualizar o tabuleiro de xadrez vemos peças grandes cheias de detalhes, são os cavalos, bispos, torres, a dama e rei. e peças pequenas consideradas sem importância, até pelo nome que levam: os peões.
São vários 8 de cada lado, cada um servindo de escudeiro a uma peça maior.
Não são nobres, seu poder de ataque e manobras é reduzido, e como não tem muita escolha só podem ou ficar parados ou avançar em busca de algo melhor. Serem promovidos!
E é nessa capacidade especial que vamos nos fixar agora. No diagrama acima jogam as brancas e ganham.
O mundo não é feito de iguais, mas de diferenças e o equilíbrio e a dinâmica da vida depende, por enquanto, destas diferenças, pois nem todas as pessoas alcançaram ou estão no mesmo patamar da evolução espiritual.Friso patamar espiritual, pois embora estejamos no mundo material, onde é visível e palpável a manifestação de nossa existência, só uma com a elevação do espírito é que as realizações serão plenas.
Materialmente, muitos são vivem suas vidas como as peças maiores, ostentando e se orgulhando de suas conquistas mas interiormente estagnaram não caminham mais, não pensam em evoluir por acreditarem já terem o suficiente para suas existências.
Outros não tiveram conquistas nem materiais e nem espirituais, se resignam e aceitando passivamente a sua condição não lutando para nenhuma melhoria, dizem: Nasci assim e é assim que sou.
O que ambos podem aprender com a peça mais simples do xadrez?
O peão, muitas vezes tem que ficar parado um tempo, pois ele tem que esperar a melhor situação para avançar, justamente devido ao seu poder inicial reduzido, mas ele pode ousar e pular logo uma casa quando resolve andar, ao invés de andar uma só.
Iniciado o movimento o peão não pode recuar, não há volta uma vez que se lance, é obrigado a evoluir, ir em busca de sua transformação, cujo ápice é atingido na 8ª casa.
Durante a caminhada do peão as dificuldades aumentarão e tentarão bloquear e provocar tensões em seus caminhos, mas a cada passo adiante suas forças também aumentarão e logo outras peças maiores surgirão para apoiá-lo para garantir a promoção.
Levemos isso para nossa vida: quantas vezes ficamos vendo o tempo passar, temos idéias, sonhos, paixões e deixamos tudo de lado por medo, por receio de nos lançar no mundo acreditando sermos pequenos e fracos demais?
Quantas vezes somos esnobados por aqueles que se encontram em patamares materiais mais elevados e acabamos aceitando aquilo como algo natural, como se fôssemos realmente de mundos diferentes?
Façamos como os peões, avancemos, comece a sua transformação por dentro, acredite no seu potencial, acredite nos seus sonhos, sinta o seu objetivo sendo realizado.
A verdadeira transformação e conquistas começam já nos seus pensamentos.
Logo ser peão, não é um estado permanente, é um momento de transição, basta acessar a força transformandora que há dentro de nós e seguindo em frente evoluir em busca da verdadeira felicidade.

Conexão - O mais importante passo!

Conexão do latim connexus - que tem ligação de uma coisa com outra, união. Na Biologia conjunto das ligações de um determinados órgão animal com os órgãos de tecidos vizinhos. Na Mecânica - reunião provisória de duas máquinas entre si para que se completem ou funcionem simultâneamente.

A música tem a capacidade de mexer com as emoções humanas fazendo com o que as demonstremos de diversas formas, uma delas é a dança. Sou fã da dança em todas as suas variações e a dança de casal mostra para mim, um momento mágico em que duas almas envolvidas pela música se conectam expressando juntas o turbilhão de sentimentos através de movimentos coordenados simultâneos ou não.
Tenho muito alunos que assistiram a show, coreografias, campeonatos de dança e vêem buscar para suas vidas aquele momento mágico e divertido que esta gravado em seu subconsciente.
A maioria chega buscando aprender apenas movimentos, decorá-los e executá-los como se só isso bastasse.
Logo de cara eu mostro ao meus alunos que o mais importante não é a quantidade e nem mesmo a qualidade do movimento. (estas se desenvolverão naturalmente com o tempo de prática). mas que o mais importante é haver uma conexão tripla: Cavalheiro+Dama+Musica = a sintonia e harmonia!
Quando o cavalheiro e dama se conectam um ao outro demonstrando o carinho e a preocupação pertinentes ao momento em que se propuseram desfrutar utilizando e sentindo a música ao fundo, os movimentos pouco importam, pois eles surgirão naturalmente, os dançarinos fundem-se como se fossem um único corpo e mesmo em momentos que cada um expressa-se individualmente a harmonia se mantém até como prova da sintonia que ambos têm.
Aliás, em minha opinião,não há dança se não houver esta conexão, por isso eu sou crítico severo seja de personais, bolsistas ou de qualquer pessoa que, dançando com outra, esteja seus olhares a ser perder no horizonte e seu corpo sinalizando o descontentamento, aguardando o final da música para encerrar a via crucis.
Ao dançar, busco logo de cara me sintonizar com a parceira e tranquilizá-la e juntos fazer daquele momento, uma lembrança especial para mim e para ela.Ninguém têm que ser obrigado a dançar, é um movimento que deve começar no interior e se manifesta ao exterior em felicidade.
Dança é o encontro mágico entre os três elementos que a compõe gerando uma celebração prazerosa, encantadora e eternizada nos corações!

segunda-feira, 22 de fevereiro de 2010

A importancia da troca


Trocar verbo transitivo - Dar coisa ou pessoa em troca de outra. Colocar uma coisa no lugar de outra. Alternar, RECIPROCAR. Na Biologia entrada e saida de substâncias de todo o tipo através da membrana celular.

"A Troca é a alma do xadrez" (Kieninger)

A citação acima ilustra o quanto é importante saber o momento certo para se fazerem trocas de peças com o adversário (ato em que ao se tomar um peça do oponente o mesmo tomará a peça atacante ou outra como medida para no mínimo igualar a partida em termos materiais e posicionais).Subjetivamente é quando o enxadrista tem que usar sua capacidade intelectual para se por no lugar do oponente e entender suas aspirações e no caso específico frustrá-las para impôr as suas.
No diagrama ao lado ache o lance das pretas em que ganha a dama adversária.
Na vida saber trocar é fundamental para o bom desenvolvimento do individuo e de suas relações. Individualmente a pessoa que não sabe dividir não terá como crescer, pois ficará travada, se encherá tanto de si mesma que não terá espaço para se renovar, por certo acabará isolada da sociedade com pensamentos distoantes com a verdade. Pois é na troca com o meio que tiramos as impurezas, que nos lapidamos.
De fato não existe relação ou melhor não existe benefício numa relação em que não há trocas, onde só um despeja sua energia e recursos e o outro só recebe. Numa hora um dos dois polos chegará a exaustão ou por não ter mais o que dar ou pelo esgotamento de energias e material ou o outro por não ter mais prazer em tanto receber.

Numa relação em que há troca, obtêm-se o equilibrio de forças e de estado anímico.

Para melhor ilustrar fugirei do jogo de xadrez (pois as trocas no mesmo são efetuadas pelos contendores visando ganho unilateral) para outra atividade em que a troca é essencial para o seu prosseguimento: a arte mágica!

O mágico só pode existir se houver troca entre ele e o público, logo após a apresentação ele busca o sorriso da platéia e a energia gerada pela alegria dos ouvintes movimenta e empolga o ilusionista que faz o seu melhor e o isso proporciona mais euforia que retorna novamente ao mago e logo uma energia circular toma conta do ambiente fazendo com que tudo dê certo e os envolvidos vivenciem o êxtase!
Outro exemplo simples de notar esta na nossa biologia, nosso corpo constantemente executa processos de interações intra celulares e a mais simples que pode ser notada é a troca gasosa. É necessário muita atenção à nossa respiração pois ela nos mostra claramente quando devemos dar uma pausa para retomar o fôlego, reestabelecendo nossas forças e retomar o foco.
Encontro muitas pessoas, alunos e alunas que desabafam viverem relações em que seu parceiro se omite nos momentos em que deveria dar sua contrapartida, egoísta que é, mal sabe que acumular demais faz mal, pois o se esta muito cheio não poderá receber coisas boas e novas. Falta as vezes para muitas pessoas trocarem de lugar com a outra para entenderem e respeitarem mais as suas decisões e sentimentos.
Reflita sobre como você tem feito as trocas consigo mesmo, com o meio. Como andam as trocas em suas relações e encontre um meio para estabelecer o saudável equilibrio.

Enfim, não vou me estender mais pois o tema é amplo, ressalto que Trocar é abrir espaço para o novo, proporcionado para si mesmo e para o próximo um crescimento interno onde ambos se igualam em esforços e alegrias aproveitando e potencializando ao máximo a relação.

A Dança na minha vida!


Eu costumava dizer à todos que não gostava nem de música quando criança quanto mais de dançar, mas ao começar a escrever, minha memória trouxe a verdade: Eu adorava!Quando assistia programas na tv, gostava dos desenhos musicais em que deveria seguir uma bolinha para cantar a música. Não gostava daquelas festas em que vinham pintar meu rosto, isto até hoje não me apraz, mas sempre curti aquelas musicas infantis típicas das creches e das coreografias nela inseridas.
Na adolescência além do sonho comum em ser jogador de futebol e aprender a lutar, cinema, teatro e sair para dançar em festas italianas na Igreja da Achiropita no Bixiga e bailinhos em geral com muita black music eram o meu lazer sempre com irmãos e amigos.
Juntos ensaiávamos os passos em casa, e quando prontos partíamos para o baile, na época meu irmão tinha muito mais talento que eu.Ainda recordo que era muito divertido ver as garotas e outros garotos elogiando nossas coreografias.
Neste período também dividia o tempo entre os esporte e a pintura onde expressava meus sentimentos, anseios e como enxergava a vida, entretanto, acabei largando tolamente a pintura ao ter uma decepção amorosa.
Era praticante assíduo do Taekwondo disputando torneios pela Academia Santana à época treinado por Marcelo Horikawa quando abriu uma escola de ballet ao lado.Fiz logo amizade com a dona e as bailarinas e adorava vê-las dançando e comparava seus movimentos aos golpes das artes-marciais.
Ao surgir o convite para fazer aulas de dança de salão com o prof. Wesley na mesma escola, aceitei de primeira com muita alegria pois meu pai sempre falava que para me tornar um bom lutador, um jogador de futebol melhor e conseguir uma mulher legal para namorar e até se tornar minha esposa, eu teria que aprender a dançar.Ele sempre dava exemplos como Bruce Lee, e craques de futebol, entre outros.
Fiquei afastado da dança por uns anos, abandonei o Taekwondo, pratiquei ainda o MuayThay e o Vale-Tudo abdicando da luta por falta de apoio familiar,que achavam as lutas eram muito violentas e passei a me dedicar a uma outra arte, o jogo de xadrez, onde alcancei resultados interessantes como amador.
Retornei ao mundo da dança ao conhecer Nara, que me levou à sua escola de teatro, a Recriarte e lá participava de aulas com o mestre Ronaldo Gutierrez. O mesmo me indicou para fazer audição para ser bolsista numa escola que eu já ouvira falar anos antes: Jaime Aroxa Casa Verde (hoje Interacto). Fiquei um tempo e logo depois continuei aprendendo em outras escolas: Jaime Arôxa Liberdade, Jaime Arôxa Santana, CR Danças e Espaço Nakasone onde conheci vários ritmos e me apaixonei em especial pelo forró, bolero e zouk.
Uma brincadeira de meu filho me levou a começar a estudar a arte mágica há um ano na qual venho gradativamente evoluindo e me divertindo cada vez mais.
Também retomei a vontade e o prazer de pintar e mais um sonho e paixão antiga foi redespertada: a de tocar violão!
Hoje faço e dou aulas de dança, zouk em especial e acabei abandonando o sonho de me tornar jogador de futebol e treino Muay Thai, e tenho com parceira muito especial, com um potencial incrivel para a dança, a Dra. Carolina Custóias.
A dança tomou conta da minha vida e da minha alma, não me vejo sem sair para dançar ao menos uma vez por semana. É onde eu relaxo, faço amigos e amigas, nela com minha parceira disputei a 1ª Copa Forró de São Paulo, dançamos uma coreografia de zouk ao som da música Mais que prazer de Paulo Mac. É onde espero encontrar uma mulher que seja muito especial para mim e eu para ela, e seguiremos por muitos e muitos anos juntos bailando, sendo felizes e trocando suspiros, confidências, sussurros e beijos apaixonados pelos maravilhosos salões da vida!!!!

Quando o Sacrifício é Verdadeiro.



Sacrifício - raiz sacer - algo que não pode ser tocado, pertence ao mundo divino, latim - sacrificium, ato de oferecimento ao divino.
Muitas vezes ouço as pessoas dizerem o quanto elas fazem sacríficios em suas vidas diariamente e o descreverem eu logo percebo que elas não sabem o que é significado do ato. Usarei para exemplificar o jogo de xadrez onde jogadores também empregam o termo.

No jogo de xadrez as peças tem valores absolutos (os peões valem um embora ao chegarem a oitava casa sejam promovidos dai seu valor aumentar a cada avanço, Cavalo =3, Bispo = 3,5, torre = 5 Dama = 9 Rei não tem valor pois a sua perda encerra a partida) e valores relativos que estão relacionado a posição da peça e sua atuação na posição.
No diagrama acima ache o lance vitorioso das brancas .
Muitas vezes é necessário trocar uma torre por um bispo ou cavalo do adversário, tendo em vista que a capacidade de ação de nossa peça não atingiria a tempo o mesmo potencial que a do oponente já tinha e com a mesma troca potencializa-se todas as outras forças na criação de ameaças que garantem a vitória.
O que me faz lembrar destas sitações: "A troca é a alma do Xadrez"( Kieninger) que será motivo de nova postagem e "É sempre melhor sacrificar as peças adversárias" "Os sacrifícios só provam que alguém cometeu um erro" (Tartakower) d. Retomando o tema:
Em meu entendimento, quando gastamos nosso tempo, nossa energia, nosso recursos em busca de um objetivo, seja qual for, e sabemos que com nosso empenho o resultado será concretamente alcançado, isto não figura como ação de sacrifício pois apenas o que houve foi esforço e a troca do mesmo pelo bem conquistado, entretanto se ao empregarmos os mesmos recursos e esforços e o retorno não for garantido ai sim estaremos praticando o ato.
Logo não lamente quando tiver que se desdobrar para fazer algo, apenas pondere se será agraciado ao final e então, faça com alegria. Agora se não há certeza, se houver atuação do imponderável escolha não agir, ou simplesmente, ai sim, sacrifique-se com o dobro da felicidade e aceite sua entrega verdaderia ao intocável, ao DIVINO.