Bodfaro

Lomadee, uma nova espécie na web. A maior plataforma de afiliados da América Latina.

carrossel de ofertas

Buscape

Lomadee, uma nova espécie na web. A maior plataforma de afiliados da América Latina.

quinta-feira, 25 de novembro de 2010

Parte 4 - O Touro - Um Leão, Um guerreiro, uma gira - Um sonho ou realidade?



...ouço uma música, seu ritmo logo se apodera de meu corpo, instantes minha razão embarca numa carruagem de nuvens do Deus Hypnos e tudo o que se segue é o mais puro relato de uma realidade que muitos não conseguem ver...estou distante do corpo do guerreiro...um sorriso me chama a atenção e me viro...a minha frente uma pequena estrada indo por uma mata fechada, sigo o caminho até que chego à uma escadaria feita na rocha, simbolos místicos estampados na parede me mostra que estou entrando em um lugar sagrado...
Nuvens densas de fumaça com um aroma adoricado encobrem a visão para onde estou indo até que ela se dissipa e surge uma visão impressionante:
Uma linda mata surgira, e um portal ornado com flores e um recipiente ornado repleto de moedas de ouro...continuo a caminhar e noto inumeras pessoas congeladas, como que aguardando por algo que não acontecera ainda, expressões de fé e esperança em suas faces...algo que deveria ser aterrador...estátuas vivas!
e a fumaça volta a aumentar e deixando mais dificil visualizar o ambiente, quando ouço uma gargalhada...me viro quando um ancião com olhos brilhantes surge vestido de branco e abre sua mão esquerda e aponta com a direita para a entrada...parecia querer que eu doasse alguma moeda ...mas eu não tinha...para meu maior espanto quando fui abrir minhas mãos para mostrar-lhe isso surgiram duas moedas, uma em cada mão...
Ele apenas sorri e acena com a cabeça...vou até o pote deposito as minhas moedas e ao me virar o homem desaparece na fumaça que se intensifica...continuo a caminhar e percebo uma grande mesa à frente, arrumada para um banquete, muita bebida, comida, flores e velas enfeitando...mas algo está próximo à elas...abaixado...pessoas?
Só enxergo vultos pretos...e um explode erguendo-se numa gargalhada que arrepia a alma...só vejo seus olhos brilharem e tão rápido quando surgiu se misturou a fumaça...o cheiro da fumaça começa a me entorpecer os sentidos...minha alma se agita...olho para trás pensando em recuar e logo percebo inúmeros olhos, das estátuas vivas reluzem como me indicando para seguir em frente...
Uma brisa suave toca minha pele então e me viro...o aroma só podia ser ...sim é ela a cigana! Ela caminha e vira seu olhar na minha direção com um sorriso singelo e leva uma bela rosa ao nariz e aspira fechando os olhos para logo sumir na fumaça...
A necessidade de seguir em frente e encontrar respostas, mais esta visão me impulsionam a seguir em frente...o som das gargalhadas, respirações profundas aumentam, sons de batidas de pés no chão e as luzes das velas acesas dão um tom sobrehumano ao ambiente...outra visão...vejo como se um vulto de chapéu que me olha e ri debochoso...uma velha caminha encurvada batendo seu cajado com força no chão rindo...e ela me olha e mostrando os dentes ri e puchando sua saia vermelha e preta desaparece também na fumaça...
Estou envolto por ela agora...a fumaça assume formas assustadoras mexendo com minha percepção, fogo amarelado surge de rachaduras no chão...avisto uma armadura de cobre ao canto e uma espada...seja o que for que me aguarda meu instinto de proteção me pede para vestí-la e me preparar para uma batalha...e sinto que minha ação aumentou o frissom das gargalhadas...
me ergo e me espanto...chifres enormes surgem...olhos de fogo...rasgam o bréu e logo desaparecem...me viro procurando onde foram...
e me arrependo do que encontrei...era um gigante negro como a noite, marcas de tridentes estavam marcadas em seu dorso...raspava os cascos com ferocidade rasgando o chão deixando um rastro de brasas, de suas ventas e de seus olhos explodiam labaredas de fogo e fumaça cheirando a enxofre...logo a sua frente um guerreiro ferido brandia sua espada com a mão direita tentando se posicionar para desferir um golpe certeiro, porém o que se viu foi a fera lançar sua fúria numa chifrada que acertou o peito do guerreiro que, antes mesmo que a dor o pudesse alcançar, teve seu corpo transformado em cinzas que se misturaram a terra...
...e as gargalhadas somaram-se ao som de tambores como a comemorar o triunfo da besta, quem se vira em minha direção, bufa cuspindo fogo e como para mostrar sua força destroi restos de armaduras que se encontravam próximo, como numa dança preparatória para um novo combate...
...é incrível mas admirei o poder daquele verdadeiro golias...não havia um ponto fraco sequer na sua estrutura feita sabe-se lá de que matéria divina...novamente ele raspa o chão como fizera anteriormente, o fogo que sai de seus olhos aumenta e as marcas de tridentes no seu dorso flamejam como se feitas de lava vulcânica num laranja avermelhado...
...respiro fundo e olhos aos céus, e desta vez como para iluminar meu último suspiro surge a Lua escoltadas por uma estrela entre as nuvens...fecho os olhos para guardar esta visão maviosa e a resposta surge em minha alma...rapidamente largo a espada e dispo-me da armadura...as gargalhadas assumem tons diversos como se a zombar e a não entender minha loucura...sinto a energia do touro inflando...corro até a mesa preparada para o banquete e encontro o que preciso...uma rosa vermelha...linda, delicada, perfumada, tal qual a que eu vira com a cigana, quiça seja a mesma...
A recolho com ambas as mãos e viro-me para o touro...segue um silêncio sepulcral...e uma inquietude toma conta do ambiente...pé após pé me aproximo da criatura que prepara o seu ataque...estico meu braço esquerdo em sua direção com a rosa na mão...e a fera se lança contra mim...fecho os olhos e aguardo em paz o desfecho...quando de súbito o touro breca ante a flor e aproximando suas narinas aspira o seu inebriante aroma...se ajoelha e fica fitando sua beleza, toco os chifres e a cabeça do animal com minha mão direita acariciando e toda a energia destrutiva do animal se dispersa e uma luz rósea emana dos olhos e das marcas do touro envolvendo-nos...e o silêncio é quebrado pelas gargalhadas, sons de batidas de pés e cajados....
...
abro meus olhos sentindo muita energia pulsando dentro do meu ser...a fumaça se desfez e a minha frente está um enorme pilar em pedra, fechando um portal...nem mil homens o moveriam calculo...mas algo me move para tentar...e o incrível acontece...meus olhos brilham tal qual o touro e sinto fogo correr nas minhas costas e ao tocar a pedra com apenas um das minhas mãos ela se desmorona...
e o incrível acontece...os corpos congelados ganham vida, seus corpos se iluminam e andam na direção do portal agora aberto...há felicidade em suas feições e então todos se transformam em pássaros de luz e passando pelo portal se espalharam pelo fimamento se confundindo com as estrelas...
Quando retomo à mim mesmo percebo que já não estava mais onde acabara de acontecer tudo, voltara à estar ao lado do guerreiro, flutuando ainda no ar, o Leão me fita e meneia com a cabeça...mais uma vez me sinto fundir ao guerreiro e antes do torpor me dominar, mais uma vejo ao longe a cigana sorrindo....
...
E detrás das estrelas surgiu um Leão, que ao meu lado sentou e rugiu para a Lua...distante numa montanha, um touro negro e uma cigana à sorrir nos observavam...

4 comentários:

  1. Lindo o texto... verdadeiro e intenso... só quem estava la... he he he sabe!

    ResponderExcluir
  2. Em apresentar mãos vazias surge uma moeda em cada mão... quando a humildade se manifesta a riqueza vem acompanhá-la!
    A força e o medo se dobram diante da ternura... ternura, um sentimento singelo, mas que pode trazer vida àqueles que se deixam contagiar por ela. Lindo Ira! Os significados mais profundos talvez sejam outros e estejam guardados com você, mas lendo foi isso que pude sentir, e tentar interpretar, parabéns!
    Vanessa

    ResponderExcluir
  3. É incrivel como voce consegue fazer com que o leitor se sinta dentro da historia.. Demais! Parabens querido!
    Adoreiiii!

    Bjinhoo.. Lu*

    ResponderExcluir
  4. Ao feitio de um conto das Mil e Uma Noites, pulando da superfície para uma camada mais profunda, e depois retornando para a linha principal... Eis que se encontram os conflitos mais internos com a realidade, na qual se choca a consciência, vibrando uma história incrível e complexa, e que remoemos para compreender até seu último grão... Que o quebra-cabeça se complete antes da virada final do seu tempo ^_^

    ResponderExcluir